Borboletas ...

18:00


Então compreendi meu gosto obsessivo por borboletas, era uma admiração por elas se manterem livres, por voarem lançando fora o medo e sendo protagonista de suas próprias vidas.

Elas aprenderam e cresceram ao longo do caminho, fecharam-se para se auto entender, então sabiam pra onde ir e abriram asas para alcançar.

Cá estou eu tentando meu voo solo.Quero me libertar dessa casualidade, dessa paixonite platônica por você, quero libertar sentimentos que me prendem e não me deixam voar.

Quero apegar a mim, as minhas qualidades e defeitos, amar cada pedacinho, sem lembrar que você existe.

Quero minha sanidade e capacidade de ouvir uma canção qualquer sem pensar em seus rosto ou sorriso torto.

Quero pousar minha cabeça no travesseiro e automaticamente fechar os olhos sem flertar com um futuro incerto ao seu lado.

Leia Também

0 comentários

Twitter

Subscribe