Preferi a minha companhia

13:00


Troquei diversas amizades por uma noite regada de cobertores e livros, me pareceu sensato e a melhor escolha. Não tinha de provar nada a ninguém ou me impor como esperavam. Poderia ser eu mesma com qualquer traje, confortável, mesmo não combinando e cultivando uma paixão platônica por um personagem qualquer.

Desviei-me de encontros sociais, a pressão de obter ambição igualitária a olho alheio me leva a loucura. Não, não quero seguir os modelos: trabalho, casamento, sucesso. Quero aventuras regadas de viagens, de conhecimento, de amor próprio, e de quebra (ou seria de brinde?) um amor, com mesma alucinação, que talvez siga a construção de uma família grande, ou pequena, não importa.

Quem sabe, a olho nu, de quem julgue certo e errado, eu esteja a espera de algo incompreensível, de algo insano, mas o mundo é feito de loucos não? Se não, onde estaria a graça?

Leia Também

0 comentários

Twitter

Subscribe