Olhar

22:49




Contemplando o negro céu, lembrei-me do seu olhar. Olhar que me enlouquece, já que nele encontro vestígios de solidão, encontro paz,  vejo tormenta,  encontro o que necessito. Ás vezes sinto-me odiada pelo mesmo, mas com a pouca esperança que em mim habita, torço para ser correspondida.

Talvez eu não te conheça como queira, talvez o pouco que tenho de ti seja mistério. Mas o que fazer se a curiosidade aumenta? Se a inquietação me tira a concentração?

Espero pelo dia em que a coragem me domine e possa gritar ao mundo este sentimento que tem me sufocado. Mesmo que venha a decepção, libertar-se é inovador!

Leia Também

0 comentários

Twitter

Subscribe