O vizinho

18:00


Dentro de mim há um mar revolto. Nada sossega, nada acalma.

Como ondas que chocam-se em rochas,o medo bate violentamente em meu peito.

A incerteza alojada em meu ser, apenas me mostra o breve ser humano que sou. Mostra-me a grandeza de um mundo equiparado na minha pequenez.

O peito e a garganta fecham, as mãos tremem e a barriga voa para o mais distante lugar.

Como pode um mero sentimento impedir meu viver? Como pode paralisar quem sou? Como pode ser tão forte afim de manter parada, estagnada sem rumo e perdendo a fé?

Leia Também

0 comentários

Twitter

Subscribe