Do lado de cá

18:00


Havia dias, que resistia a qualquer sentimento, que apenas existia. Mantive em cativeiro sonhos e expectativas. Então houve um momento, decisivo devo dizer, que a calmaria me trazia medo, a incerteza angústia e a solidão tristeza. Foi ai, que me entreguei, simplesmente dei as mãos a alguém maior, não conseguia andar, não conseguia confiar, não conseguia viver!

Sacrifícios nunca são prazerosos, mas sabemos que deles virá nossa vitória. É diante deles que conseguimos entender o que vale ou não a pena, ou a galinha! São eles, nosso treinamento, para o que fato, Ele havia preparado desde a nossa formação no ventre. Então descansei, continue na caminhada, com os pés estabelecidos na fé. Aquela que não vemos, mas cremos de forma tão grande, que sim, move montanhas, cura enfermos, resgata perdidos e consola os abatidos.

Caminhada árdua, nem todos entendem a grandeza, ou o amor, porque Ele é o amor vivo, representado, e nada muda isto. Minhas atitudes foram essenciais nesse trajeto, elas não apenas incomodaram, como revelaram o verdadeiro evangelho.

Então hoje, enquanto analiso toda essa viagem, percebo que minha melhor decisão foi confiar-Lhe minha vida. Do lado de cá, há tantas conquistas. Não, não é perfeita. Há dias que a luta vem, mas não atinge. Não tem força sobre mim. As bençãos são grandes, que não me sobra tempo para murmuração, não sobra tempo para ouvir calunias, e nem mesmo me sentir rejeitada. Mas há tempo para agradecer, de amar, de viver! 

Leia Também

0 comentários

Twitter

Subscribe